top banner

O Evento

Apresentação


A Sociedade Brasileira de Ictiologia (SBI) é uma associação sem fins lucrativos e de Utilidade Pública, criada durante o IX Congresso Brasileiro de Zoologia, em Porto Alegre, RS, em fevereiro de 1982. Sua criação partiu da constatação de que um quinto dos trabalhos apresentados nos VIII e IX Congressos de Zoologia envolviam assuntos relacionados a peixes. Constituiu-se então a Comissão Provisória Pró-Fundação da Sociedade Brasileira de Ictiologia, com o respaldo de 218 ictiólogos presentes. A fundação oficial ocorreu em 2 de fevereiro de 1983, durante o X Congresso Brasileiro de Zoologia, em Belo Horizonte, MG (texto extraído da home page da SBI http://www.sbi.bio.br/pt/).

Até o ano da criação da SBI, os debates e as comunicações científicas sobre peixes em geral, ficavam inseridos na programação geral dos sucessivos Congressos Brasileiros de Zoologia, sempre ocupando um espaço destacado pela quantidade e pela qualidade dos resultados apresentados.

Desde então, os encontros de ictiologia (EBIs) aconteceram em diferentes cidades e com o mesmo cunho de excelência e notoriedade dos temas discutidos. Neste sentido e mesmo considerando o cenário econômico atual do Brasil, a Universidade Federal do Pará e o Museu Paraense Emílio Goeldi, vêm assumir o desafio de realizar o XXIII EBI na cidade de Belém.

Em 2019, o XXIII Encontro Brasileiro de Ictiologia será realizado no Hangar - Centro de Convenções e Feiras da Amazônia em Belém, de 27 a 31 de janeiro de 2019.

A Comissão Organizadora do XXIII EBI pretende oferecer à comunidade científica especializada no estudo dos peixes uma programação diversa, que permita o amplo debate em torno dos mais diversos assuntos da pesquisa referentes a este táxon. Serão realizadas conferências, mesas redondas, simpósio, simpósios-satélites e mini-cursos, além das apresentações (em forma de pôster e oral) dos resultados das investigações científicas realizadas com peixes em todas as regiões do país.

Pesquisadores de todo o Brasil farão parte da Comissão Científica e alguns nomes de destaque no cenário internacional da pesquisa nas diversas áreas da ictiologia já foram convidados, visando a sua participação como conferencistas ou participantes de mesas redondas. A confirmação de sua vinda dependerá, obviamente, da obtenção de recursos para seu deslocamento até Belém e sua hospedagem.

Visto que o número de participantes só tem aumentado em cada edição do Congresso, estamos trabalhando com a expectativa de recebimento de um número recorde de inscrições para participação no mesmo, bem como de trabalhos para apresentação em forma de comunicação oral ou pôster. A realização deste Congresso (que é o maior evento brasileiro nas mais diversas áreas do conhecimento envolvendo o táxon “PEIXES” no Brasil e um dos maiores da América Latina) pela primeira vez em uma cidade do Norte do país reforça a expectativa de um número recorde de participações, já que oferece uma oportunidade pra alunos de graduação e pós-graduação das regiões Norte e Nordeste, principalmente de alunos dos Campi do interior do Estado do Pará, da participação em um evento deste porte. Isso porque o evento quase sempre ocorreu nas regiões Sudeste e Sul do país e os altos custos com deslocamento e hospedagem invibializava a participação destes estudantes no mesmo. A presença dos estudantes e de seus orientadores nas reuniões científicas significa importante complementação acadêmica e coleta de experiência pré-profissional.